*** Sanctus...Sanctus...Sanctus *** E é importante apoiar-se numa comunidade ,mesmo que seja virtual,porque entre aqueles e aquelas que a compõem,encontram-se os que estão nos tempos em que o dia vai ganhando, pouco a pouco, à noite. Irm.Silencio

quinta-feira, 17 de março de 2011

Retiro na cidade - 9

A Palavra de Deus

«Feliz o homem que não segue o caminho dos pecadores… antes põe o seu enlevo na lei do Senhor»

Salmo 1, 1-2

A meditação

Nos impasses, a conversão O primeiro salmo fala de duas vias propostas aos homens: a dos justos e a dos pecadores. Neste tempo de quaresma, somos convidados a tomar consciência destes aspectos da nossa vida em que fizemos «uma rota falsa», em que escolhemos caminhos que nos afastaram de Deus, voluntariamente ou inadvertidamente ou por fraqueza, porque fomos «na onda» ou escolhemos um caminho mais fácil ou mais rentável. «Examinemos atentamente os nos­sos caminhos e convertamo-nos ao Senhor. » diz o livro das lamentações (cap 3, vers 40).. É o que faz o filho pródigo que regressa a casa do seu pai, a amante pecadora que vai lavar com as suas lágrimas os pés de Jesus e tantos outros pecadores que Cristo reencontrou.

Como eles, somos convidados a descobrir não apenas as nossas faltas e os nossos pecados, mas também e ainda mais, o amor de um Deus que não nos aferrolha na nossa imagem de pecadores, como o podem fazer os bem-pensantes. Deus ama-nos ainda e sempre e quer dar-nos a sua amizade. É esta dupla descoberta que nos permite, então, que nos convertamos, que nos deixemos regressar para a misericórdia de Deus. Pois o nosso Deus não só espera o nosso regresso, como quer, ele próprio, o nosso reencontro. Ele parte ao nosso encontro. Ele fê-lo na pessoa de Cristo que veio convidar-se para casa dos pecadores que nós somos para que nos descubramos amados e ousemos reconciliar-nos e retomarmos o caminho com ele.

Traduzido de: retraitedanslaville.org

6 comentários:

vp disse...

Estou a acompanhar o retiro com sede dessas águas que vão partilhando… no entanto, hoje a água tem um sabor um pouco salgada… parece que levou demasiado desse sal da terra…! È preciso ter alguma contenção nos temperos, senão pode ficar intragável !

Refiro-me ao caminho por vezes perigoso que pode raiar pelas fronteiras dos juízos humanos… essa dos “justos e dos pecadores” ainda soa muito a elites escolhidas…. como se o Pai não espalha-se a sua misericórdia sobre a cabeça de todos, pecadores que somos também todos… não há um justo nem um sequer… (Rom 3,10).

O caminho não é nem é feito de justos nem dos pecadores.. o caminho é apenas aquele em que, menos carregados ou mais carregados pelo pecado caminhamos em busca da misericórdia de Deus…

… soa e pesa ainda muito essa carga legalista e moralista, ainda do AT até nos corações mais abertos ao Pai …

Em Jesus está CONSUMADO..TUDO… quando perceberemos de uma vez por todas isso…!

Santa semana...

Maria disse...

Jsus fez com que o Pai espalhasse a Sua Misericórdia por todos...sim.

Mas pq é q Jesus fala em dividir ovelhas e cabritos?

Ana Loura disse...

Sim, Deus fez e faz a parte dEle dando-nos de graça a Graça da salvação, mas não que isso queira dizer que estejamos à partida salvos. Assim "era canja". Somos todos pecadores, alguns ou a maioria aspirando a ser justos, mas muito poucos fazendo por isso. Penso que é isso que este texto quer dizer...sou pecadora, de vez enquando páro (este é um dos tempos favoráveis para...) e revejo o meu caminho e posso seguir em frente no seguimento do que tenho trilhado ou dizer: caramba, aqui está uma oportunidade de "arrepiar caminho", aproveito??? Mesmo aproveitanto a "deixa" não quer dizer que logo mais à frente não me deixe seduzir por alguma coisa mais iníqua e lá me desvie eu daquele que é O Caminho
Que Deus me ajude e que eu me deixe ajudar por ele

vp disse...

Ontem consegui ler ainda a “correr” os vossos comentários, mas tive que sair à pressa para “socorrer” um dos jovens que esteve no ardina e que vive num quarto sozinho em Odivelas, trabalha noutra zona… telefonou-me aflito… um assalto e ficou em apuros com a questão da sobrevivência… lá foi este samaritano inútil a correr para tentar acudir… pelo menos até que receba ao fim do mês já terá pão na mesa e para transportes… quem dá o que lhe dão também não faz nada demais… Deus providenciará…

No carro a caminho ia meditando nesta questão da última partilha do retiro e das vossas intervenções… Ana, não quero de forma nenhuma negar a Justiça de Deus a par com a sua misericórdia, mas sim, não tenho dúvidas em repetir que estamos todos salvos à partida… (Efésios 1,4-8)… agora a resposta que damos é sempre nossa e pessoal e ela pode tanto negar como acolher essa oferta da salvação… mas mesmo assim, Ele lá está novamente a sussurrar ao nosso coração insistentemente, sem desistir nunca de nós…(João 12,47-50).

Quanto à questão da Maria, “…dividir ovelhas e cabritos” ela está na mesma linha do Trigo e do Joio… é claro, no entanto é Deus quem separará (divide)… no entanto permite que eles cresçam e vivam juntos… o Caminho é feito para todos.. não existem dois caminhos que separem.. existem sim direcções que cada um de nós opta por tomar na nossa caminhada… e isso é entre nós e Deus não entre nós e algum ser frágil como nós no pecado… mais armado em “xerife celestial”… todos temos telhados de vidro… e todos precisamos da misericórdia do Pai…

Confesso que naquele momento em que li partilha, soou-me novamente ao coração aquele episódio do publicano e do pecador…

... bom, já rezei pelo tema, e em frente.. o caminho faz-se caminhando…o retiro é assim, vales e montes… assim também é a Quaresma da nossa vida…

andarilho disse...

correcção:

Quanto à questão da Maria, “…dividir ovelhas e cabritos” ela está na mesma linha do Trigo e do Joio… é claro, no entanto é Deus quem separará (divide)… e ainda assim não esquecer que Ele permite que eles cresçam e vivam juntos… (façam caminho juntos no mesmo espaço-caminho...)

o Caminho é feito para todos.. não existem dois caminhos que separem.. existem sim direcções que cada um de nós opta por tomar na nossa caminhada… e isso é entre nós e Deus não entre nós e algum ser frágil como nós no pecado… mais armado em “xerife celestial”… todos temos telhados de vidro… e todos precisamos da misericórdia do Pai…

Maria disse...

ahhhhhhh....o que queria referir era a acusação particular que uns podem fazer aos outros, julgando-se mais perfeitos,mais próximos,mais íntimos.

Claro que concordo e aliás não é dita outra coisa nos Evangelhos.

Mas a partilha dos dominicanos não enfermava de maneira alguma desse erro.