*** Sanctus...Sanctus...Sanctus *** E é importante apoiar-se numa comunidade ,mesmo que seja virtual,porque entre aqueles e aquelas que a compõem,encontram-se os que estão nos tempos em que o dia vai ganhando, pouco a pouco, à noite. Irm.Silencio

terça-feira, 15 de março de 2011

Famintos e sedentos da Verdade…!

(texto reconstruído e reescrito a pedido de alguns corações que não haviam entendido muito bem o caminho metafórico das linguagens de um andarilho…!) que me perdoem então os desvios aqueles corações que já haviam lido o texto anterior……

Nas calçadas das ruelas da vida que nos sustentam a peregrinação interior, nesse caminhar por vezes apressado, e outras tantas vezes lento e hesitante, sinto cada vez mais a força desse combate espiritual, no esgrimir denso e por vezes violento do coração e a razão que sacodem as orações deste peregrino num estertor do pensamento perdido no embrenhado dessa densa floresta das palavras que vamos abraçando por aí nos encontros das palavras, como aconteceu na última partilha – diálogo neste espaço…

Cada vez mais vou sentindo que é preciso, é mesmo vital ir mais fundo, sem nos deixarmos “ofuscar” pelo “imediato-constatado” que certamente é importante mas que pode esconder o “essencial” do CAMINHO que nos leve mais longe daquilo que os sentidos e os desejos humanos moldados por tantas influências exteriores nos querem arrastar e convencer como reais…!

“O meu reino não é deste mundo” (João 18,36)…. Mas ainda assim, sabendo há muito no seu interior que o combate é outro: "A nossa luta não é contra o sangue e a carne, e sim contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes". (Efésios 6:12); alguns, (esses oficiais dos novos sinédrios do tempo presente), continuam teimosamente a tentar manter erguida essa frente de combate, nessas eternas legiões da Fé que marcham de peito aberto e desafiante, (os guardiões implacáveis da moral), nem que seja mesmo contra a própria verdade dos Evangelhos que tem apenas como arma, a simplicidade, a humildade, o perdão e a paz, e como única oferta ao inimigo, o AMOR…

E eles aí andam por esses campos da espiritualidade humana, tais corações que correm cavalgando feitos D.Quijote’s, nessa corrida louca que busca apenas enfrentar os seus próprios fantasmas e medos, no esgrimir das lanças doutrinárias, mas que lá bem no fundo sabem e sentem que já pouco resta dessa chama ateada pelos ofícios das teologias e doutrinas, que mantiveram acesos os fornos das crenças até agora, apenas porque o sopro humano das teimosias das presunções humanas os vai sustentando com balões de oxigénios já misturados em outras gazes permissivos (as manipulações constantes da Palavra), ao respirar espiritual…!

Esses lugares da pompa e da riqueza, onde se anuncia a irmã pobreza, mas que se vestem e se adornam à custa do sangue e suor dos pobres nas "ofertas" constantes ali atiradas por corações aflitos que na gratidão de alguma bênção ou na troca de alguma prece vão sustentando o espaço onde deveria acontecer o ENCONTRO e o ABRAÇO entre irmãos todos MENORES, mas onde acontece apenas o subir constante dos panos desse palco da vaidade humana, onde se dão os últimos actos dessas tragédias que expõem nos palcos da vida esse estertor dos impérios dos poderes e das mentiras…!

E ainda que adornados de ouro e pedras raras, que lhes sustentam e embelezam as próprias sombras que se movem inertes e cada vez mais vazios, mas que continuam na sua imponência e grandeza que ostenta a vaidade e o poder humano, a ser os eternos espaços-templos onde se continuam a queimar, (agora já não com pombos e animais no sacrifício expiatório), mas a própria vida de tantos que se negam a esperar nas margens dos "Tanques de Siloé" até que um anjo toque as águas (permita o acesso aos sacramentos a todos os "feridos"...)… acabando de uma vez por todas com esse prolongar das paralisias das almas que buscam desesperadamente a cura e a libertação… o andar pelo seu próprio pé… o serem livres definitivamente…

E o que mais magoa… o que mais fere a alma… é continuarmos a escutar o eco e os gritos de tanta mentira e hipocrisia pelas ruas das novas Jerusalém’s de hoje…

O Caminho da Quaresma não acaba e não se completa apenas na Páscoa…! O Caminho da Quaresma acaba na ressurreição de cada filho do PAI… Tu… eu… todos os que se deixam amar… todos os que se deixam chamar de filhos…

Essa é a Páscoa verdadeira, aquela onde a VIDA se deu para que todos fizessem e tomassem parte dessa mesma VIDA…

E a melhor certeza que sustenta essa Esperança dos filhos que somos todos… na certeza de quem crê… é que essa oferta é eterna, ela nunca acabará a não ser naquele dia em que nos encontraremos e descansaremos nos braços do Pai…

2 comentários:

andarilho disse...

Bom... tentei tornar mais límpida esta água... espero que agora se possa sentir-lhe o sabor e a frescura...

Santa semana a todos...

Maria-Portugal disse...

A Pascoa...a passagem do Filho ao PAI consuma de forma absoluta a vitória sobre a morte ...a Ressurreição de Jesus culmina a peregrinação humana de uma vez por todas...o que falta é q toda a humanidade nela participe.

Mas se Jesus nos disse que quando fosse levantado atrairia todos a Si a nossa esperança perdura.