*** Sanctus...Sanctus...Sanctus *** E é importante apoiar-se numa comunidade ,mesmo que seja virtual,porque entre aqueles e aquelas que a compõem,encontram-se os que estão nos tempos em que o dia vai ganhando, pouco a pouco, à noite. Irm.Silencio

domingo, 4 de outubro de 2009

Impossível não falar hoje de Francisco


Avisos Espirituais
A Verdadeira e Perfeita Alegria (VPA)

1 Certo dia, estando o bem-aventurado Francisco em Santa Maria, chamou o irmão Leão e disse-lhe:
– Irmão Leão, escreve
2 Este respondeu-lhe:
– Estou preparado,
3 – Escreve – disse-lhe – em que consiste a verdadeira alegria.
4 Supõe que chega um mensageiro com a notícia de que todos os mestres de Paris entram na Ordem. Escreve: “Não é essa a verdadeira alegria”.
5 E que, além disso, deram também entrada na Ordem todos os prelados ultramontanos, arcebispos e bispos, e ainda os reis de França e da Inglaterra. Escreve. “Não está nisso a verdadeira alegria”.
6 E que igualmente os meus irmãos partiram para entre os infiéis e os converteram todos à fé. E, além disso, que eu próprio recebi muitos milagres. Pois digo-te que ainda em nada disto está a verdadeira alegria.
7 Qual é, então, a verdadeira alegria?
8 Supõe que eu, ao voltar da Perúsia, chegava aqui altas horas da noite. É Inverno. Está tudo enlameado e o frio é tanto que da orla da túnica pendem sincelos que abrem feridas nas pernas e as fustigam até as fazer sangrar.
9 E, coberto de lama, gelado, a tiritar de frio, chego à porta. Depois de estar bastante tempo a tocar e a chamar, aparece o irmão e pergunta:
– Quem é?
Eu respondo: – Sou o irmão Francisco.
10 E ele replica:
– Fora daqui. Isto não são horas decentes de se andar pelos caminhos. Aqui é que tu não entras.
11 E, perante nova insistência da minha parte, responde:
– Fora daqui. Tu não passas de um simplório, um labrego. Connosco é que não ficas. Já cá temos muita gente e não precisamos de ti para nada.
12 De novo me aproximo da porta para lhe dizer:
– Por amor de Deus, deixai-me ficar aqui esta noite.
13 Resposta dele:
– Não estou disposto. Vai ter com os crucíferos e pede-lhes que te recebam.
14 Se eu levasse tudo isto com paciência e sem ter perdido a calma, digo-te que está nisto a verdadeira alegria e também a verdadeira virtude e o bem da alma.
Editorial Franciscana


1 comentário:

Lua dos Açores disse...

O "meu" Francisco...

"Senhor, faz-me instrumento da Tua Paz", faz com que eu seja paciente, tolerante...faz, Senhor, tanto que eu preciso e quero.
Amen